Capitalismo vs Meio-Ambiente

Março 30, 2008

O desejo do consumo sendo confundido com a necessidade. É isso que o capitalismo impõe nas pessoas que se deixam levar pelas idéias da mais nova ideologia mundial.

Logo, esse consumismo exarcebado faz com que as grandes empresas busquem uma enorme quantidade de matéria-prima, ocasionando em uma grande perda de áreas preservativas ajudando no desmatamento. Algumas pessoas cogitam uma certa possibilidade de haver um sistema sustentável, onde a matéria-prima retirada seria exatamente o necessário para o que iriam consumir, sem excedentes. Mas a grande maioria acha uma idéia utópica, já que esse sistema idolatra o consumo e a ganância de todos.

Entretanto, mesmo com tantas criticas ao capitalismo, as pessoas tem que admitir, que esse é o único sistema que deixa possível o individuo usar sua capacidade mental e física da melhor forma possível, para conseguir uma qualidade de vida melhor. Claro que isso só é possível se a pessoa não for empregada de uma empresa, onde suas virtudes estão limitadas e má remuneradas na maioria das vezes.

Portanto, o meio-ambiente é uma vitima eterna do capitalismo, e só servirá para uma produção em uma escala jamais vista, para atender a procura dos produtos e a ânsia de compra de seus discípulos. Fazendo com que aos poucos o pulmão do mundo faleça. E todo esse império conquistado cairá em ruínas.

Célula Tronco..

Março 15, 2008

Revolução na medicina. Estamos prontos para isso? Fim das doenças que atualmente, matam dezenas de milhares de pessoas no mundo todo. Isso é o que os cientistas dizem a respeito da célula tronco (ou célula mãe, como também é conhecida.). Mas é claro, que as pessoas estão desconfiando dos benefícios ocasionados pelo uso dessa célula. Alem das antagônicas opiniões sobre os bens causados por ela, também entra a polêmica da célula embrionária. O que seria essas células embrionárias? Elas são capazes (com uma probabilidade de sucesso maior que as adultas) criar qualquer célula de: tecidos, sistema nervoso, ósseo entre outros. Criando uma possível cura para males como: câncer, paralisia e outras doenças que, hoje em dia se alastra pelo mundo, fazendo mais vítimas.

Entretanto, nada é assim tão simples. Para se conseguir a célula embrionária, teremos que tirar uma vida, matar o “bebê”. Vida? Matar? Essa é uma outra polêmica. Pois algumas pessoas dizem que já após a fecundação, há vida. E se tem alguma vida lá dentro, já é portadora de direitos humanos, e com isso não pode se cometer, de certa forma, o assassinato. Essa é a opinião da igreja católica e de muitos outros “seguidores” dessa idéia. Mas há o outro lado, que diz que serão usadas para um bem maior e são células enviáveis. O que seria isso? São células que já estão congeladas há mais de três anos e que mesmo fecundadas no útero da mulher, não são capazes de conseguir sucesso na criação do feto, logo, se tornando “inútil” para isso e seu futuro seria o congelamento eterno, atrasando os estudos que para muitos seria a salvação.

Porém, o Brasil como um país democrático, possui leis. E na constituição está escrito que a morte de um individuo é dada como certa, quando o sistema nervoso (cérebro) para de trabalhar, “funcionar”. E muitos usam isso como base de argumentação, pois, o embrião que está no útero, ainda não tem sistema nervoso. Podendo assim, ser usado para estudos, e futuramente para o tratamento. Porém, há cientistas que estão dizendo que descobriram uma forma de acabar com essa discussão ética, e também usar a “célula tronco adulta” (esse tipo não há necessidade de “matar” um embrião), com as mesmas funcionalidades de uma “célula tronco embrionária”, mas não é certeza. Eles mesmos disseram que há riscos de criar uma continuidade de células no lugar injetado, projetando de certa forma um câncer, mas, são especulações por enquanto.

No mais, essas colisões de opiniões estão longe de se acabar. O que se sabe, é que muitas pessoas que possuem doenças, que com o uso das células troncos poderão ser curadas, estão apoiando os estudos. Para eles, essa é a única salvação. Depende da população se conscientizar sobre o assunto e apóia-lo. E fazer desses estudos não só uma questão de esperança, mas sim, de certeza para a cura de muitas pessoas.

Pensamentos devaneios..

Março 10, 2008

Cada carta que eu nunca escrevi. Cada palavra que nunca foi dita. Tudo isso faz uma falta. Você não sabe o quanto é dificil gostar sem poder gostar, te ter só dentro de minha cabeça. Quando deito, pensamentos totalmente devaneios tomam conta da minha mente, fazendo com que eu tenha sessões nostalgicas, sentindo a sua presença, mesmo sem você estar por perto. Já brincamos muito com esse joguinho, está na hora de finalizar. Prometo que vou guardar pra sempre essa sensação tão boa que é gostar de alguém, vem comigo. E vou te guardar dentro de mim, pra ter dias melhores na minha vida. Queria saber demonstrar isso que eu sinto sobre nós, queria libertar esse grito que está preso na minha garganta! O chão parece não existir quando estou perto de ti, me sinto como se estivesse voando, sem limites. Quando a fria noite chega, traz consigo lembranças de momentos que só foram nossos, uma lágrima tenta sair dos meus olhos, mas não. Eu sou mais forte que isso, vou aguentar! E quem sabe um dia, terei você em meus braços, para sempre… Para sempre.

É preciso ser famoso? Versão 2.0

Março 10, 2008

Glória. Dinheiro. Oportunidades. É isso que a incessante busca pela fama nos oferece. Mas até que ponto é “saudável” ser famoso? Até que ponto isso é bom? As pessoas não param pra pensar nisso, elas só querem atingir o mais rápido possível o topo da pirâmide, sem nenhum efeito colateral. Este é um assunto que precisa ter uma certa cautela, pois, sendo observado durante todo tempo, faz você esquecer dos atos que para os outros podem ser o estopim para sua vida desmoronar.

Por exemplo, os brasileiros e a maioria da população mundial, são praticantes da uma modalidade, que se chama ‘voyeur’. O que é ‘voyeur’? É o exercício de observar as pessoas notórias por um tempo, pra ver como elas se comportam, como elas se vestem, o que elas fazem. E uma grande parte da sociedade, se espelha nessas pessoas, buscando a qualquer custo, o reconhecimento. Mas será que tudo isso não faz parte da alienação territorial? A alienação essa que faz com que culturas estrangeiras adentrem em nosso território, manipulando de certa formas os costumes e culturas nacionais. Tentando impor o cotidiano deles no nosso, como é o caso das tele-novelas, palavras estrangeiras que estão praticamente se tornando parte do nosso vocabulário, entre outras coisas. E uma grande proporção da sociedade não percebe isso e continua dando créditos a essas culturas alheias, fazendo com que cresçam e a nossa própria cultura se perca nesse labirinto que a globalização está fazendo. Com o aumento da tecnologia, tudo está chegando a todos lugares com uma velocidade incrível, gerando uma geração promiscua, que tão cedo deseja ser igual as pessoas que são vistas na televisão.

Entretanto, não podemos negar que a fama, nos traz um sentimento bom de poder e proteção. Mas é uma sensação ilusória, pois, as pessoas que retém uma alta notoridade na sociedade, são alvos fáceis para as criticas, para os boatos e também para a prática de violência. Afinal, ela não pode agradar a todos e muito menos fazer que a grande parte da população (que vive na miséria) entenda o porque do seu dinheiro. E é exatamente esse ponto que atingi a grande parte dos famosos: dinheiro versus felicidade. Será que realmente eles são felizes? Muitos são tratados como marionetes pelos seus empresários, que só pensam em acumular mais riquezas e esquece que aquela pessoa, possui sentimentos como outra qualquer. Porém, ela não pode reclamar, tem que ver tudo passar. Não tem controle sobre sua vida, que é guiada apenas por horários e compromissos. Pense nisso, pois a vida é muito importante, pra ser exposta a um jogo de sorte, que nem sempre, você vence.

É preciso ser famoso?

Março 9, 2008

OBS: Esse tema é o tema da redação da unesp 2008. E eu não sou bom em dissertativa, ou seja, capaz do texto ficar muito ruim. Mas com o tempo, irei melhorar.

_______________________________

Glória. Dinheiro. Ser conhecido por todos. Isso é bom? Ruim? Esse assunto não é muito discutido nos dias de hoje, porém, quase todos buscam a fama. Por qual motivo? Por todos esses citados e vários outros. Pessoas que acham que ser reconhecido em todas as partes do mundo seja algo bom, que ser vigiado vinte e quatro horas por dia, tem suas vantagens.

A humanidade atualmente está completamente manipulada pelos meios de comunicação, por onde se passa todo tipo de ‘manipulações’ para todos os gostos e tipos. Um menino já cresce querendo ser igual ao jogador de futebol, uma garota quer a roupa que aquela atriz usa, a mãe quer uma geladeira igual a dona de casa da novela possui. Isso torna a sociedade monótona e repugnante. Pois até quando vamos agüentar a alienação territorial e mental que eles nos entregam de bandeja para nossos filhos, e para todos que dão ibope para o exercício da dominação mundial.

É bom ter reconhecimento, mas até certo ponto. Após algum tempo, as pessoas notórias são alvos fáceis de observação (pratica conhecida como ‘Voyeur’) e para ser fantoche dos chefões da mídia, que faz o que bem entender com essa pessoa, para expor seu produto. Para eles, essas ‘criaturas’ não passam de um meio de propaganda civil para vender seus produtos aos demais alienados. Conseguem impor na nossa cultura, um meio que transponha os interesses deles para os demais, fazendo com que você pense que necessita daquilo para ser uma pessoa feliz. Uma pessoa famosa, na maioria das vezes não é feliz. Eles não conseguem viver sua própria vida, estão sempre vivendo a vida dos seus empresários, que buscam cada vez mais riqueza (dinheiro e material). Você consegue ver algum famoso todo dia com seu filho empinando pipa na praça? Consegue ver eles jogando bola no campinho de areia com os seus filhos? Eles perdem completamente o senso de vida, perdem completamente a vontade de viver. E tudo isso por causa do que? Por causa da notoridade que são pertencentes.

Ser famoso não é só ter um carro importado, ou uma casa bacana. É muito mais que isso, é vender sua vida para os demais. Viver na obscuridade e ver tudo passar sem poder fazer nada. Até que ponto vale a pena ser famoso? É algo que tem que se refletir. Afinal, a vida é algo importante demais para vender a preço de banana e arriscar tudo conquistado por você, virar pó de uma hora para a outra.

 

Tentativa de descrição..

Março 9, 2008

Vou tentar inventar uma descrição de uma imagem, e quero que vocês digam se dá pra tentar imaginar a cena na sua cabeça. Pois se eu conseguir, é porque descrevi bem.

Era exatamente 4 da madrugada, na noite de quinta-feira para sexta-feira. Um amontoado de pano, na beira do mar chama atenção de quem passa naquele horário. Era o “Zé” como era conhecido pela redondeza, um mendigo muito humilde que fazia de lá, seu lugar para dormir. Tinha sim uma vista linda, panorâmica, entretanto, não é digno de uma pessoa morar ao relento. Zé, todo dia se deixa envolto a seus cobertores, que foram doados por pessoas da comunidade, e tenta se esquentar da congelante madrugada de Santos. Faz de um monte de papelão o seu travesseiro, para repousar sua cabeça, e pelo menos durante a noite, tentar imaginar em seus sonhos uma situação melhor. Um lugar que não exista desigualdade social, um lugar que ele possa dormir em uma cama confortável, onde ele tenha pelo menos o que comer todos os dias. Ao acordar, avista uma neblina sob o mar recém-nascido, com uma névoa gelada, que toma conta do horizonte. Que faz com que ele fique enrolado em seus panos por mais alguns minutos, olhando a paisagem. Mas sabe que essa nostalgia logo irá acabar, e os sentimentos de angustia e desespero, irão voltar e tomar conta de seu pobre coração. Quando começa o vai-e-vem de pessoas na sua cama de pedra, a calçada, o homem precisa levantar-se e recomeçar a sua jornada, que já é rotina. E mais tarde, deitar a beira-mar e, pelo menos, sonhar com um mundo melhor.

A primeira de muitas..

Março 9, 2008

Palavras. É isso que terá aqui. Isso não será um blog normal. Será mais um espaço de testes e experiências literárias. Escreverei aqui, textos feitos por mim para vocês darem suas críticas e notas. Pois será muito importante pra mim. Afinal, isso será usado para a tão importante ‘redação’ nos vestibulares da vida.

“Palavras, existem!
Palavras..
Palavr..
Palav..
Pala..
Pal..
P..

Já não existe mais!
Agora existe.

Não mais..
Palavras são só..
Palavras.”

(Renato Lazzarini) Acabei de criar, só pra não deixar em branco.